Diagnóstico foi apresentado pela coordenação do Pronascentes, que monitora a área desde 2018. Bom resultado advém da proteção das nascentes e de técnicas de conservação de solo

A microbacia do Córrego Bauzinho, manancial de abastecimento do distrito de Pindaíbas, está apresentando melhoria na disponibilidade hídrica. Esse fato é resultado das ações de revitalização ambiental executadas na área: cercamento e reflorestamento de todas as nascentes pela Copasa em 2018 e construção de bacias de captação de águas pluviais (bolsões) em 2020. O diagnóstico positivo foi apontado em análise do monitoramento realizado pelo Programa Municipal Pronascentes (da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Sustentável) desde o início das intervenções. 

Para monitorar a área, foram escolhidos três pontos de amostragem: o ponto 1, situado à montante da captação na porção média da microbacia; o ponto 2, na própria estação de captação da Copasa, e o ponto 3, na foz do Córrego Bauzinho. As medições começaram em novembro de 2018, logo após o início do cercamento das nascentes, e foram repetidas  na mesma época em 2019 e 2020. O trabalho de campo contou com a orientação técnica do engenheiro agrônomo da Emater/MG Henrique Queiroz Borges, além do apoio de integrantes do Coletivo Local de Meio Ambiente de Patos de Minas (Colmeia) e de funcionários da Copasa. 

“Nos três pontos amostrados houve aumento expressivo na vazão hídrica (Q1,Q2 e Q3) do córrego comparando com a medição de 2018. Considerando a média dos três pontos, a vazão triplicou com dois anos após o cercamento das nascentes”, explicou a bióloga e coordenadora do Pronascentes, Eni Amaral. Segundo ela, o monitoramento é necessário para verificar se as ações ambientais estão sendo efetivas na produção de águas na microbacia. Em anos anteriores, houve escassez hídrica severa desse manancial, o que impossibilitou o abastecimento da comunidade de Pindaíbas nos períodos críticos de estiagem. 

De acordo com a coordenadora do Pronascentes, esse acompanhamento da área não pode ser interrompido mesmo diante dos bons resultados apresentados até o momento. “É importante que esse monitoramento ambiental continue nos próximos anos, para que possa incentivar novos projetos de revitalização ambiental em outras microbacias, além de apresentar bases científicas sobre a eficiência dessas práticas sustentáveis nas propriedades rurais do município de Patos de Minas”, disse Eni Amaral.