A apresentação musical celebra o centenário de nascimento da patrona da instituição

O Conservatório Municipal está preparando uma noite muito especial para homenagear o centenário de Galdina Corrêa da Costa Rodrigues. Artistas como Villa-Lobos, Piazzolla, Telemann e Carlos Gomes são alguns dos nomes que terão composições interpretadas pelo Grupo de Música de Câmara, formado por professores que lecionam na escola. A apresentação acontece no dia 13 de julho, às 20h, no Teatro Municipal Leão de Formosa. 

“Galdina fez história em nosso município como professora de música e musicista na Catedral de Santo Antônio. Sua atuação rendeu-lhe a homenagem póstuma de dar nome ao Conservatório Municipal. Portanto celebrar o centenário de seu nascimento é mais uma forma de mostrar reconhecimento pelo trabalho desempenhado por ela”, declarou o diretor da instituição Stênio Caixeta.

A Homenagem ao Centenário de Galdina Corrêa da Costa Rodrigues tem Mário Reilli na direção musical e Stênio Caixeta na direção geral. A performance será dos integrantes do Grupo de Música de Câmara do Conservatório: Tiago Caixeta (violino), Holmes Molinari (flauta transversal), Raquel Lima (piano) e Mário Reilli (violoncelo). A apresentação conta ainda com participação de Stênio Caixeta (violão) e Márcia Soares (soprano).

O ingresso para participar do evento é um litro de leite. A troca pelo bilhete de entrada pode ser realizada até o dia da apresentação, devendo ser feita no Teatro Municipal de segunda a sexta-feira, das 12h às 17h. Toda a arrecadação será destinada ao Banco de Alimentos de Patos de Minas. 

A homenageada – Filha de Osório Corrêa da Costa e Joana Ermelinda Guimarães, Galdina Corrêa da Costa Rodrigues nasceu no dia 31 de julho de 1922 em Santa Rita de Patos, atualmente Presidente Olegário. Junto com os pais, veio para Patos de Minas, deixando aqui o seu legado, principalmente, devido à atuação na área educacional.

Galdina Corrêa da Costa Rodrigues (Foto do acervo da família)

Aos 21 anos de idade, casou-se com Anicésio Rodrigues da Silva com quem teve cinco filhos: José Eustáquio Corrêa Rodrigues, Antônio Lucas Corrêa Rodrigues, Natal Vicente Corrêa Rodrigues, Maria Beatriz Corrêa Rodrigues e Marília Rosana Corrêa Rodrigues.

Galdina dedicou-se ao ensino de música e trabalhou, inclusive, na formação de outras educadoras. Exerceu a docência durante 35 anos, atuando nas escolas Marcolino de Barros e Professor Antônio Dias Maciel. Foi também musicista na Catedral de Santo Antônio, onde tocava órgão. A professora dominava a arte de diferentes instrumentos musicais, como piano, acordeon e violão, e era especializada em canto orfeônico (regência de corais).

Segundo Maria Beatriz, Galdina foi uma mulher que sempre esteve na vanguarda de seu tempo.  “Interessada pela formação das pessoas de maneira integral, caridosa, paciente e resiliente. Ela era forte e destemida, extremamente vanguardista, não tinha medo de enfrentar coisas e mundos. Na educação, por exemplo, lutou pela inclusão de pessoas com deficiência, pois acreditava que todos tinham direito de estudar. Possuía inteligência acima da média e de seu tempo e sempre foi muito ciente de seus múltiplos papéis para seu próprio crescimento, dos seus filhos e da sociedade patense.”

A educadora faleceu em 12 de fevereiro de 1987, aos 64 anos, deixando grande contribuição no que tange à educação musical no município. Em 1995, foi homenageada por meio da Lei nº 4.040 que denominou Galdina Corrêa da Costa Rodrigues o Conservatório Municipal de Música de Patos de Minas. A instituição recebeu o nome da musicista por ter como missão os mesmos propósitos de integridade e responsabilidade que ela carregou consigo e, é claro, pela sua enorme dedicação e apreço à música e ao canto orfeônico.