Todos os bairros da cidade foram visitados pelos agentes de combate a endemias nos três dias de realização do levantamento

O Programa Municipal de Combate à Dengue (PMCD) realizou o terceiro Levantamento Rápido de Índice de Infestação por Aedes Aegypti (LIRAa) de 2021. O estudo teve como resultado índice de infestação de 0,8 (baixo risco), revelando queda de 2,1 frente à verificação realizada em março deste ano, quando a classificação do município era de médio risco. O trabalho, realizado entre os dias 19 e 21 de outubro, abrangeu todos os bairros da cidade, totalizando 4.097 imóveis visitados.

De acordo com o relatório, foram encontradas larvas em praticamente todas as regiões, mas em maior quantidade nos bairros Cidade Nova, Cônego Getúlio, Cristo Redentor, Jardim Paulistano, Santa Luzia, Vila Rosa, Ipanema e Distrito Industrial. Os principais criadouros identificados foram depósitos a nível do solo, latas, pratos embaixo de vasos de plantas, bebedouro de animais, garrafas, lixo doméstico e de construção. 

Para a coordenadora do PMCD, Daniele Nunes, o resultado é animador, mas não se pode descuidar. “Apenas iniciamos o período chuvoso, por isso é necessário continuarmos atentos. O calor e a chuva favorecem a proliferação do mosquito”, informou, completando: “Além do trabalho dos agentes de combate a endemias, a colaboração da sociedade é essencial para evitarmos que sejam formados focos do Aedes aegypti”.

Segundo Daniele, mesmo com números satisfatórios, o PMCD prepara estratégias para fortalecer o combate à dengue. Dentre as ações que já vem sendo realizadas, haverá, por exemplo, intensificação de mutirões de recolhimento de materiais inservíveis que podem acumular água. As visitas domiciliares também continuam, e, para serem eficazes, é preciso que a população abra as portas de seu imóveis e recebam os agentes.

“Nossos servidores trabalham devidamente uniformizados e, no caso de dúvida, os moradores devem solicitar a identificação do agente (nome e matrícula) e entrar em contato pelo telefone 3822-9755 para averiguar se realmente trata-se de um funcionário do PMCD”, explicou a coordenadora. O número do serviço funciona também como WhatsApp e está disponível à população para denúncias e reclamações.