1 – Há número expressivo de lâmpadas queimadas na cidade. O que tem dificultado essa manutenção?

A manutenção da iluminação pública tem, de fato, uma demanda reprimida, e o maior dificultador para a troca das luminárias queimadas têm sido as tratativas com a empresa terceirizada que ainda responde pelo serviço. Nessa segunda-feira (2/5), inclusive, o proprietário da concessionária participou de mais uma reunião presencial com servidores da Secretaria de Obras Públicas e da Ouvidoria para melhor ajustar o tempo de atendimento às demandas. A prefeitura espera que surta efeito, pois outras notificações já foram aplicadas.

2- Como e quando o problema será resolvido?

Conforme tratado na reunião dessa segunda-feira, a empresa se comprometeu a dinamizar a manutenção. A expectativa é que até o início de junho essa demanda reprimida esteja atendida.

3- O que fazer para solicitar a troca de lâmpada queimada?

Para requerer a troca de lâmpada queimada deve-se formalizar o pedido pelo App Conecta Patos, disponível na loja de aplicativos. O primeiro passo é acessar o ícone Ouvidoria e depois o ícone Infraestrutura e Mobilidade. O solicitante deve informar o endereço completo (bairro, nome da rua e em frente a que número a luminária a ser verificada está situada) e telefone de contato. A solicitação pode ser feita também pelos telefones 3822-9718 (7h às 13h) e 3822-9115 (12h às 18h).

4- Tem uma Parceria Público-Privada de Iluminação Pública em andamento. Quando ela entra em vigor?

As tratativas para a PPP de Iluminação Pública iniciaram-se na gestão anterior, contudo no ano passado foi necessário aperfeiçoar o projeto para torná-lo efetivo ainda mais efetivo. O Consórcio Ilumina Patos foi o vencedor da licitação e, segundo cronograma previsto, assume a manutenção da iluminação pública em julho. A substituição das luminárias comuns para LED deve começar em setembro próximo.

5- Quais as vantagens dessa PPP?

A PPP beneficiará os mais de 150 mil habitantes de Patos de Minas, pois as lâmpadas de vapor de sódio e de mercúrio serão 100% substituídas por LED, que iluminam mais e consomem menos energia (redução em quase 58% se comparado ao sistema atual). Isso acontecerá tanto na área urbana quanto nos distritos.

O projeto também possibilitará a implantação de sistemas de telegestão em cerca de 23% dos pontos de iluminação, o que permite o controle remoto da regularidade dos serviços prestados. A partir da mudança, a população terá maior sensação de segurança entre tantos outros benefícios.