TELEFONE ÚTEIS
Controladoria
3822 9834
3822 9888 – Auditorias e Controle

Gisele

Controladora Geral

Marcela

Auditorias e Controle

Cídia

Auditoria e Controle

Aldirlei

Auditorias e Controle

Sarah

Auditoria e Controle

Notícias e Agenda


MAIS NOTÍCIAS


OUVIDORIA


A PREFEITURA


PROCON


Facebook


Twitter


Youtube


Festivals
5 de Novembro, 2019

 

Friendly Darts Tournament

Read More

Workshop
5 de Novembro, 2019

Community Picnic at Smart City

Read More

Meeting
5 de Novembro, 2019

Book Discussion Club Meeting

Read More

Festivals
5 de Novembro, 2019

Smart City Chess Club Meeting

Read More

Workshop
5 de Novembro, 2019

Computer Training Workshop

Read More

Workshop
5 de Novembro, 2019

Programing Day at Smart City

Read More

Festivals
5 de Novembro, 2019

Sports Games for Children

Read More

Conference
5 de Novembro, 2019

Smart City Council Meeting

Read More

Meeting
5 de Novembro, 2019

Cultural Counsil Grant Meeting

Read More

Conference
5 de Novembro, 2019

Saturday at the Museum Series

Read More

Advocacia Geral do Município

Rua Doutor José Olympio de Mello, 151 – Bairro Eldorado – Patos de Minas


Controladoria Geral do Município

    Controladoria-Geral do Município

    Controladora-Geral: Gisele Cristina Pereira

    Telefone: (34)3822-9834

    Endereço: Rua Doutor José Olympio de Mello, 151 – Bairro Eldorado – Patos de Minas/MG – CEP: 38700-900

    e-mail: controladoria@patosdeminas.mg.gov.br

    TELEFONE SETOR CONTATO HOR. FUNC.
    3822-9834 Gabinete da Controladora Gisele 12:00 as 18:00 horas
    3822-9888 Auditorias e Controle Marcela / Cídia / Aldirlei / Sarah 12:00 as 18:00 horas
    Controladoria-Geral do Município - Lei Complementar 553/2017

    A Controladoria Geral do Município é o órgão de assessoramento ao Prefeito, ligado diretamente ao Gabinete e responsável pelo controle interno da administração direta e indireta, competindo-lhe especialmente:

    • I – fiscalizar os atos contábeis, financeiros, operacionais, orçamentários e patrimoniais do Município, inclusive a adequada aplicação dos recursos públicos;
    • II – avaliar e propor procedimentos de controle interno para as Secretarias Municipais no sentido de evitar falhas, desvios e aperfeiçoar seus controles;
    • III – acompanhar os limites constitucionais e legais;
    • IV – avaliar o cumprimento e a execução das metas previstas no Plano Plurianual, na Lei de Diretrizes Orçamentárias e na Lei Orçamentária Anual;
    • V – realizar auditorias internas;
    • VI – auditar prestações de contas de recursos financeiros municipais repassados a entidades e pessoas físicas;
    • VII – auditar procedimentos licitatórios realizados pela Administração Municipal;
    • VIII – auditar departamento de pessoal referente às contratações e nomeações de servidores públicos;
    • IX – assessorar a Administração;
    • X – apoiar o Controle Externo;
    • XI – sugerir ao Chefe do Poder Executivo a instauração de Tomada de Contas Especial nos casos de identificação de ato ilegal, ilegítimo ou antieconômico de que resulte dano ao erário;
    • XII – avaliar as providências adotadas pelo gestor diante de danos causados ao erário, especificando, quando for o caso, as sindicâncias, inquéritos, processos administrativos ou tomadas de contas especiais, instaurados no período e os respectivos resultados, indicando números, causas, datas de instauração e de comunicação ao Tribunal de Contas;
    • XIII – dar conhecimento ao Tribunal de Contas sobre irregularidades ou ilegalidades apuradas em Tomadas de Contas Especial realizadas, com indicação das providências adotadas ou a adotar para ressarcimento de eventuais danos ao erário e para corrigir e evitar novas falhas;
    • XIV – verificar o cumprimento de Instruções Normativas do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais e emitir relatórios mensais e anuais de controle interno;
    • XV – elaborar parecer conclusivo sobre as contas anuais;
    • XVI – através de seu titular, assinar o Relatório de Gestão Fiscal e o Relatório Resumido da Execução Orçamentária, juntamente com o Chefe do Poder Executivo, o Contabilista e o Secretário Municipal responsável pela administração financeira;
    • XVII – zelar pela qualidade e pela independência do Sistema de Controle Interno;
    • XVIII – propor a adoção de medidas para a prevenção e a correição de falhas e omissões dos responsáveis pela inadequada prestação do serviço público;
    • XIX – elaborar normas, manuais, resoluções, procedimentos e ações de controle interno e auditoria.