Plano trata da retomada gradativa das atividades econômicas, não deixando de considerar regras de segurança para evitar a propagação do coronavírus
Patos de Minas seguirá o plano “Minas Consciente – Retomando a economia do jeito certo”, desenvolvido pelo Governo estadual para orientar a flexibilização das medidas de isolamento social decorrentes da pandemia do novo coronavírus. A adesão ao programa está prevista no Decreto 4.819, publicado no último dia 27, no Diário Oficial do Município.

Conforme a norma, o poder público local observará as orientações e protocolos sanitários estabelecidos pelo plano nas tomadas de decisão para o retorno consciente e seguro das atividades econômicas no município. O decreto deixa claro que a retomada será gradual e progressiva, embasada em critérios e dados epidemiológicos, a partir de um monitoramento constante da situação pandêmica e da capacidade assistencial do município.

O procurador-geral do município, Jadir Souto Ferreira, esclarece que o plano terá papel norteador quanto às decisões tomadas em relação a Patos de Minas. Segundo ele, “os critérios e orientações desse projeto serão analisados pelo Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus que, após parecer do Comitê Técnico, vai deliberar a respeito das medidas a serem adotadas aqui”.

O projeto “Minas Consciente: Retomando a Economia do Jeito Certo” prevê a reabertura gradual do comércio nas cidades para garantir que as atividades econômicas retornem de maneira segura e com regras bem definidas para evitar contágio. Os protocolos sanitários a serem seguidos foram organizados, de acordo com as especificidades de cada setor, em duas categorias principais: orientações básicas (comuns a todos os cidadãos) e orientações específicas (destinadas a empresários e consumidores). A disponibilização desses protocolos será feita de modo progressivo, obedecendo aos indicadores de capacidade assistencial e de propagação da doença.

“Ondas” – O Minas Consciente elaborou uma matriz de risco com a segmentação das atividades econômicas em quatro “ondas”, sendo: verde (serviços essenciais); branca (baixo risco); amarela (médio risco); vermelha (alto risco). É importante ressaltar que o plano estabelece a possibilidade de os segmentos mudarem de onda em virtude da análise do cenário epidemiológico. Além disso, existem setores (como escolas e casas de show e eventos) que não têm previsão de retomada de acordo com o Minas Consciente. Para consultar detalhes sobre o plano, clique aqui.