Quanto ao óbito da idosa registrado por Covid-19 no Boletim Epidemiológico Municipal no dia 10 de junho, a Prefeitura de Patos de Minas, por meio da Vigilância em Saúde, esclarece:

  • a discussão da causa do óbito foi feita por meio de investigação epidemiológica, realizada conjuntamente pela Vigilância em Saúde, instituição hospitalar privada em que a paciente estava internada e Superintendência Regional de Saúde seguindo os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde;
  • a paciente deu entrada na instituição hospitalar apresentando sintomas típicos de infecção por coronavírus (falta de ar e tosse). Dentro da unidade hospitalar, ela foi submetida a um primeiro exame (sorológico), cujo resultado foi positivo para Covid-19. Segundo protocolo do Ministério da Saúde, sorologias positivas somadas a evidências clínicas e epidemiológicas (contato com pessoa positiva para a doença) são suficientes para fechamento do diagnóstico;
  • apesar de um segundo exame realizado pela idosa (PCR) dentro da instituição hospitalar ter apresentado resultado negativo, ele não determina isoladamente a não existência do coronavírus, uma vez que o PCR detecta a presença do vírus na cavidade nasal ou oral do segundo ao décimo dia dos sintomas;
  • a declaração de óbito foi feita pelo médico que assistiu a paciente em hospital particular, e o documento consta óbito por Covid-19 e cardiopatia
  • quanto a dúvidas da causa da morte ou dos exames realizados, cabe à família da idosa discutir com a equipe médica da instituição hospitalar privada que a assistiu.