Público de 20 a 39 anos representa mais de 50% das confirmações em Patos de Minas a partir de 14 de setembro

Foto: reprodução internet

A contaminação de jovens e jovens adultos pelo novo coronavírus nos últimos dias em Patos de Minas tem sido motivo de alerta, e os números mostram que manter atenção nesse público é, de fato, necessário. Isso porque 123 dos 232 casos positivos da doença contabilizados entre 14 e 25 de setembro estão na faixa etária de 10 a 39 anos, ou seja, 53%. Nesse grupo, os mais atingidos são, respectivamente, aqueles com idade de 30 a 39 anos (49,6%) e de 20 a 29 anos (42,3%). 

Esses percentuais mostram que cerca de 61 pessoas na faixa de 30 a 39 anos tiveram diagnóstico confirmado para Covid-19 nesse intervalo de 12 dias, ou seja, média de cinco positivos diariamente. No caso do público de 20 a 29 anos, a média diária de confirmações foi de 4,3. Embora em menor grau, a presença do vírus no grupo abaixo de 20 anos também chama atenção para o período analisado: dez contaminações, sendo sete em jovens de 17 a 19 anos.  

Para o coordenador do Comitê Municipal de Enfrentamento à Covid-19, Célio Adriano Lopes, os números confirmam o que todos estão vendo: relaxamento nos cuidados contra o coronavírus. “É verdade que muitas flexibilizações foram feitas, mas para isso foram criados protocolos que devem ser seguidos. A pandemia não acabou, sendo assim não podemos fazer festinhas ou aglomerar em eventos particulares, inclusive nos familiares. O público mais jovem, em especial, insiste em menosprezar a doença e, dessa forma, coloca em risco sua própria saúde e a daqueles que estão se prevenindo.”

Diretor técnico da Unidade de Pronto Atendimento do município, Élcio Moreira mostra que os dados não mentem. “Após o feriado de 7 de setembro, em especial a partir do dia 14, de fato tivemos mais jovens atendidos no Centro de Atendimento para Enfrentamento à Covid-19. Antes, eles representavam 20 a 30% da demanda, e essa passou para 50%”, disse, acrescentando: “O maior risco é que eles são possíveis transmissores do vírus para a população mais idosa“. O médico explica que, embora as internações não sejam rotina entre esse público, elas acontecem. 

Novo estudo publicado em julho no Journal of Adolescent Health chama atenção justamente para o fato de jovens adultos também serem vulneráveis e poderem apresentar diversas complicações caso contraiam a Covid-19. Pesquisadores descobriram que um terço dos americanos entre 18 e 25 anos apresentam fatores de risco para a doença, como o tabagismo. Na sequência estão asma, obesidade e distúrbios do sistema imunológico, a exemplo de artrite reumatoide. 

Charles Irwin, pesquisador sênior do estudo, disse que a diferença entre os idosos que apresentam complicações relacionadas à infecção e os jovens está diminuindo. Isto é, os mais novos também estão apresentando complicações e precisando de atendimento médico. A pesquisa também reforça que a doença pode deixar sequelas permanentes que vão muito além do pulmão.