Canalização do Córrego do Monjolo será retomada

A obra é uma das mais aguardadas pela população; início está previsto para depois do período chuvoso

O Córrego do Monjolo, que corta a Avenida Fátima Porto, sofreu a primeira intervenção há cerca de dez anos. O projeto contemplava a canalização completa, mas não foi totalmente executado. E, para dar andamento à obra, que está na lista de prioridades da gestão municipal, a Secretaria de Planejamento revisou o projeto e atualizou a planilha orçamentária. A licitação ocorreu neste semestre, e o contrato foi assinado na última semana. O início dos trabalhos está marcado para fevereiro de 2023. 

O primeiro passo para o início das obras foi dado hoje (22/12) na sede administrativa. Em reunião registrada pela imprensa, o prefeito Luís Eduardo Falcão assinou a ordem de serviço que autoriza a vencedora da licitação (Poros Construtora Ltda.) a executar a canalização de mais uma parte do córrego. De agora em diante, a empresa tem 18 meses para concluir o serviço no trecho descrito no edital. 

A obra, orçada em cerca de R$ 12 milhões, será custeada com recursos próprios do município e também com os R$ 7 milhões advindos de indenização da Vale. Nessa etapa serão canalizados 770 metros do córrego: do entroncamento da Avenida Fátima Porto com a Rua Guaraci até próximo ao cruzamento com a Avenida Paranaíba, onde a canalização já foi feita.

Imagem – Trecho que será canalizado

A obra começará na seta vermelha, entroncamento com a Rua Guaraci e termina na seta amarela, próximo ao entroncamento com a Avenida Paranaíba. Acima da seta amarela já está canalizado.

Detalhes da intervenção – O canal do córrego será amplificado na parte onde as obras serão executadas, e o leito padronizado, respeitando o curso dele. O vão livre terá 8,25m de largura por 3,15m de altura. O guarda-corpo será instalado em cima da estrutura de concreto para dar espaço ao plantio de novas árvores. O trecho será todo reflorestado: 366 palmeiras serão plantadas nas duas margens, mais que o triplo do que há no local.

O primeiro serviço será a demolição da ponte em concreto armado situada no entroncamento da Rua Piauí com a Avenida Fátima Porto. A estrutura impede a livre passagem de água nos períodos chuvosos de grande volume, o que deixa o local propício a alagamentos. Outra ponte, com novas proporções, será construída a alguns metros do local. 

Imagem – Ponte a ser demolida

A ponte fica no entroncamento da Rua Piauí e Avenida Fátima Porto.

O trecho contemplado nessa fase está numa região bastante castigada por enchentes e alagamentos, por isso a obra é um dos principais pontos de atenção do Executivo municipal. 

Trânsito – Durante a intervenção, o trânsito de veículos no trecho em obras da avenida sofrerá alterações por conta da movimentação de máquinas pesadas. Para tentar melhorar a fluidez do tráfego em vias no entorno, principalmente na Major Gote, a configuração dos semáforos será alterada de acordo com o fluxo do dia. Para isso será feito o monitoramento diariamente.

A administração já tem o projeto atualizado para a outra parte da obra, que significará a canalização completa, chegando ao entroncamento das avenidas Fátima Porto e Juscelino Kubitschek.  Os recursos para viabilizar a conclusão de todo o canal estão sendo buscados pelo município, já havendo pelo menos R$ 2 milhões confirmados pelo Governo de Minas Gerais.