Foram empossadas, na manhã desta sexta-feira (28), as novas diretorias da Amapar e do Cispar, em cerimônia prestigiada pelo governador Romeu Zema, o secretário de estado de Governo, Igor Eto, além de lideranças políticas, empresariais e autoridades civis e militares da região. O evento marcou mais uma etapa na história das entidades que iniciam novo ciclo de atuação em prol dos municípios associados e consorciados.

Abrindo os pronunciamentos, o prefeito de Carmo do Paranaíba, César Caetano de Almeida, encerrou a sua gestão falando sobre os desafios enfrentados pelos municípios e pela Amapar. Destacou que, no momento, entrega uma associação mais preparada para crescer e promover o desenvolvimento do Alto Paranaíba. “Foi um trabalho de transparência, de unir as pessoas em torno de um objetivo. Assumimos a Amapar em um momento delicado para todos nós prefeitos, mas, a partir de toda essa proposta de inovação e renovação, nós conseguimos unir os prefeitos à frente em um momento difícil, que foi a pandemia. Nós temos uma Amapar mais unida, com prefeitos presentes, opinando e de mãos dadas para essa região”, comentou o prefeito.

A cerimônia seguiu com pronunciamentos do presidente da Câmara Municipal de Patos de Minas, vereador Ezequiel Macedo, do deputado federal Zé Vitor, do deputado estadual Bosco e do juiz José Humberto da Silveira, que destacaram a atuação das entidades municipalistas em prol do desenvolvimento regional. Em seguida, os novos diretores da Amapar e Cispar, seguiram com a assinatura do termo de posse. César Caetano de Almeida tomou posse como presidente do Cispar, consórcio público que se destaca com projetos como implantação do Serviço de Inspeção Regional, licenciamentos ambientais municipais e Gestão de Resíduos Sólidos.

Em seu pronunciamento, o novo presidente da Amapar destacou os desafios da região, especialmente na área de saúde pública, em que os municípios vêm atuando por uma reestruturação da rede. Falcão enalteceu o trabalho dos ex-presidentes e destacou a pujança e necessidade de valorização da região. “A grandeza do nosso Alto Paranaíba não é apenas porque a gente gosta dessa região, está nos números. Temos 25% do PIB do agronegócio mineiro, o café do cerrado mineiro é aqui da nossa região, que é também uma das maiores produtoras de leite do Brasil. Aqui temos queijos especiais. Nossa missão é tornar a nossa região mais conhecida e valorizada”. O novo presidente ainda destacou o papel de articulação política da entidade junto às esferas estadual e federal.

Encerrando a cerimônia, Romeu Zema fez seu pronunciamento com um breve balanço dos três anos à frente do Governo de Minas. “Apesar de todos os problemas, o estado avançou, e os prefeitos são uma prova viva dos nossos esforços. Nesses três anos, pagamos uma parte expressiva dos R$ 14 bilhões tirados dos municípios, estamos indo na direção certa. Temos uma dívida com os prefeitos, R$ 7 bilhões menor do que quando assumimos”, disse. Zema ainda falou sobre programas de apoio lançados pelo Governo para auxiliar as famílias e municípios atingidos pelas chuvas, bem como para recuperação de estradas estaduais atingidas.

Sobre o aumento de casos de Covid-19 em todo o estado, com 36 mil novos casos por dia, Zema fez um apelo aos prefeitos para conscientização da população sobre a importância do cumprimento do esquema de vacinação. “Não está ocupando UTIs nem refletindo em óbitos, mas está sobrecarregando a atenção primária, faltando inclusive medicamentos em farmácias particulares”.

ZEMA SE REÚNE COM PREFEITOS E OUVE DEMANDAS DA REGIÃO

Em reunião reservada aos prefeitos do Alto Paranaíba e do Noroeste de Minas, Romeu Zema e o secretário estadual de Governo, Igor Eto, ouviram as demandas das regiões. Entre as reivindicações comuns, a situação da saúde pública na macrorregião e o atendimento no Hospital Regional Antônio Dias. O presidente da Amapar destacou que a contratação de profissionais no hospital da rede Fhemig tem sido uma dificuldade por conta da remuneração oferecida, um dos fatores que tem dificultado um melhor atendimento na unidade que é referência para 33 municípios. Prefeitos ainda levaram diversas demandas relacionadas às estradas da região, afetadas pelas chuvas.

Fonte: Assessoria de comunicação da Amapar.