O planejamento é para que a retomada aconteça em agosto

A secretária de Educação de Patos de Minas, Sônia Silveira, e a secretária de Saúde, Ana Carolina Magalhães Caixeta, concederam entrevista coletiva, na manhã desta sexta-feira (28/5), para falar sobre o retorno das aulas presenciais nas escolas municipais. A volta, prevista para o mês de junho, foi postergada para agosto devido a fatores de saúde e logística de adequação das escolas. 

Um dos aspectos decisivos para adiar o início das atividades presenciais é o período de grande incidência de doenças respiratórias, que se dá entre junho e julho, meses em que a temperatura diminui e a presença do rinovírus e influenza é mais comum nos ambientes. Tendo em vista que sintomas de resfriados e gripes são semelhantes aos da Covid-19, isso interferiria diretamente na dinâmica das escolas. Com o retorno em agosto, a segurança em relação às doenças sazonais é maior. 

A secretária de educação, Sônia Silveira, destacou o papel dos pais e de toda a comunidade escolar para que o retorno aconteça de forma segura e consciente. Ela falou ainda sobre a pesquisa que está sendo realizada pela Semed para levantar o quantitativo de alunos que retomarão as atividades presenciais. “É necessário que os pais respondam à pesquisa, pois assim saberemos, de fato, quantos alunos irão voltar e poderemos planejar melhor o retorno. Estamos trabalhando para que tudo seja feito da melhor forma possível”.

Estrutura das escolas

Durante o período de preparação para a volta, as escolas municipais têm passado por reestruturação da parte elétrica e da rede de internet. O objetivo de adaptá-las para recebimento dos kits multimídia necessários à nova configuração das aulas. De acordo com a secretária de educação, muitas dessas instituições precisam passar por adequações para receber a tecnologia que será implementada. 

Vacinação dos professores e profissionais de educação

De acordo com o Governo do estado, a vacinação dos professores e demais profissionais de educação deve ocorrer a partir do mês de junho. Segundo Ana Carolina, o processo deve acontecer de forma escalonada, assim como foi feito com os profissionais de saúde. Todos os colaboradores, incluindo motoristas, serviços gerais e pessoal do administrativo, devem ser contemplados. Agora, o município aguarda a ordem de prioridades e chegada das vacinas para iniciar a imunização.