Mudanças, anunciadas em coletiva de imprensa nessa quarta-feira, começam a valer a partir de amanhã

Da esquerda para a direita: secretária de Saúde, Ana Carolina Caixeta; prefeito de Patos de Minas, Luís Eduardo Falcão; e diretora da Santa Casa de Misericórdia, Odilene Gonçalves

A Prefeitura de Patos de Minas apresentou ontem (17/11) novos fluxos para casos ortopédicos de média complexidade e suturas na rede municipal de saúde. Atualmente realizados na UPA, esses atendimentos terão, a partir dessa sexta-feira (19/11), a Santa Casa de Misericórdia como porta de entrada. Estima-se que, com a mudança, o movimento no pronto atendimento do Jardim Peluzzo reduzirá em cerca de 200 pacientes por dia, melhorando e agilizando a assistência prestada na unidade. 

A secretária municipal de Saúde, Ana Carolina Magalhães Caixeta, exemplificou o que altera na prática: “Torci o tornozelo no futebol, então agora irei para a Santa Casa e não para a UPA. O fluxo é o mesmo para uma criança que caiu e machucou o braço ou cortou a mão com a faca. Lá serão colocados gessos, talas e feitos pontos quando necessários. Para politraumatismos e fraturas expostas, a porta de entrada continua sendo o Hospital Regional Antônio Dias, que mantém a referência de alta complexidade”. 

A secretária também destacou que os pacientes ortopédicos com retorno agendado na UPA para 19 de novembro em diante já serão atendidos na Santa Casa, devendo eles dirigirem-se diretamente ao hospital. Ana Carolina esclareceu ainda que a assistência para pessoas com dor crônica – por exemplo dor recorrente na coluna ou nas articulações não advinda de traumas físicos – segue ocorrendo na UPA ou nas unidades de saúde da família (USFs).

Cirurgias –  Também ontem foram apresentadas informações sobre o início de cirurgias eletivas na Santa Casa de Misericórdia. Segundo a diretora do hospital, Odilene Gonçalves, o atendimento operatório começa em dezembro. “Já temos 400 procedimentos agendados, e os pacientes estão realizando o pré-atendimento com a nossa equipe, para posterior risco cirúrgico. Iniciaremos com cirurgias de hérnia e hemorróidas, as quais têm grande fila de espera há muitos anos”, explicou. 

O que muda na UPA – Com a transferência de parte da ortopedia para a Santa Casa, a Secretaria de Saúde terá condições de acrescentar um médico clínico geral por plantão na UPA, refletindo diretamente em melhorias no atendimento. O prefeito Luís Eduardo Falcão, que também participou do anúncio sobre mudanças no fluxo da saúde, lembrou que está sendo finalizado o projeto de reforma da unidade do Peluzzo, o que também representará mais qualidade na assistência e melhores condições de trabalho para os servidores.