O caso do vira-lata Fred exemplifica uma das funções do Centro de Controle de Zoonoses de Patos de Minas: acolher animais vítimas de maus-tratos e oferecer a eles a assistência necessária até que estejam recuperados e aptos para encontrar novo lar. 

Antes de serem disponibilizados para adoção, são castrados e agora microchipados, exatamente o que ocorreu com o Fred nessa quinta-feira (23/6). Resgatado pela PM de situação vulnerável no fim de abril, o cãozinho foi cuidado e tratado pelo CCZ, evoluindo satisfatoriamente. 

Depois de dois meses, o cachorro está saudável e à procura de novo tutor. Quem tiver interesse em ter o Fred como animal de estimação, pode entrar em contato com a Zoonozes pelo telefone 3822-9624. Mas é adoção responsável, certo? 

Sobre as responsabilidades do CCZ, é importante explicar que ser abrigo para animais não está entre elas, embora muitas pessoas tenham essa visão. A função principal do órgão é monitorar a proliferação de doenças transmitidas por cães, gatos, roedores, morcegos e outras espécies, as chamadas zoonoses. 

Mas lá não recolhe cães e gatos de rua? Se forem saudáveis, NÃO! Esse recolhimento só ocorre no caso de animais agressores, vítimas de maus tratos ou comprometidos com alguma doença infecciosa. 

A nova política de Manejo Populacional de Cães e Gatos não preconiza a construção de espaços para abrigá-los, mas sim o controle reprodutivo (castração) e o estímulo à posse responsável para gradativamente reduzir a população de rua. A microchipagem também faz parte das políticas públicas mais modernas para diminuir o abandono e, consequentemente, o número de animais vivendo em situação de rua.